Licitação do sistema urbano na Ilha completa 3 anos

No dia 1 de Setembro de 2016, os 3 Consórcios vencedores da licitação realizada na capital maranhense assinavam o contrato para exploração do sistema de transporte urbano da Ilha por 20 anos. Uma ressalva para a Viação Primor que assinou o contrato semanas antes.
O propósito da licitação inicialmente era trazer uma nova era ao sistema que até o ano citado encontrava-se defasado e com muitos ônibus acima de 10 anos em circulação, mesmo havendo renovações por parte das empresas. O edital da licitação trazia alguns pontos que logo de início foram sendo cumpridos pelas empresas, como a aquisição de veículos com ar condicionado, veículos articulados, a retirada dos ônibus com mais de 10 anos e a acessibilidade em toda a frota urbana.
Só em 2016 foram inseridos na frota urbana 169 ônibus climatizados em apenas 5 meses de contratos assinados, sendo um grande avanço no sistema, contando com a inclusão dos veículos articulados. Além disso, as empresas também foram autorizadas a trazer veículos seminovos para adequação da frota por um período de tempo, já que a maioria tiveram acréscimos em sua frota devido ao novo modal.
No final de 2016, a Expresso Rei de França já tinha atingido os 100% da frota acessível e outras estavam quase alcançando esse patamar, trazendo melhorias principalmente para quem depende do equipamento.
Mas, como nem sempre tudo é um mar de rosas, a infraestrutura nos bairros continuou sendo um desafio para as atuais operadoras, pois com os vários buracos espalhados em ruas e avenidas da capital, há problemas para a frota com quebras constantes e a rápida deterioração do veículo e além dos buracos, a poeira e terra que ficam acumuladas nas vias tem sido um vilão para os elevadores, pois ficam congestionados por conta da sujeira não só externa como interna, por parte dos passageiros, ocasionando o mal funcionamento do equipamento. Vale ressaltar que a conservação dos veículos pelas próprias concessionárias é fundamental para o atendimento aos usuários.
No tocante, é possível observar que houve uma melhora no sistema, mas ainda pode ser feito mais tanto pelas empresas quanto pela própria Prefeitura e no decorrer da semana, estaremos tratando de assuntos mais detalhados em relação a licitação, com comparativos entre esses 3 anos.

Fonte: SportbuS Maranhão

Postar um comentário

10 Comentários

  1. Engraçado que vcs colocaram grande parte da responsabilidade na prefeitura e nos passageiros em relação a conservação dos veículos esqueceram que tbm é dever das empresas fazer a manutenção devida nos veículos coisa que grande parte das empresas não faz e já tivemos vários exemplos da falta de manutenção por parte das empresas sendo ainda que sem manutenção o maior risco é para nós passageiros. Acredito que a responsabilidade pela conservação dos veículos é de todos tanto prefeitura, passageiros e principalmente das empresas que não adianta ter vias lindas e o veículo não ter manutenção adequada a prova disse é que tem várias áreas em São Luis que as vias são boas mais mesmo assim muitos veículos sem manutenção adequada. Então a responsabilidade é de todos e não só dos passageiros e da Prefeitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como está no último parágrafo, entraremos em mais detalhes nos próximos dias, é só acompanhar, hoje foi só uma matéria superficial.

      Excluir
    2. Como diz Romário. "Pelé calado é um poeta. Quando abre a boca, só fala merda. Tinha que colocar um sapato na boca"😒 só sabe reclama

      Excluir
  2. Finalmente em? Parabéns Sportbus por essa matéria e eu concordo com tudo que foi dito aí, porém vale ressaltar que não só os elevadores, mas também a área interna do veículo e também os ar condicionados são prejudicados principalmente pela falta de infraestrutura das vias da capital, além disso a falta de respeito por parte de alguns usuários é grande, começando pelo descarte de lixo nas brechas das janelas de nossos coletivos e indo até a abertura também de janelas dentro dos ônibus com ar condicionado. Enfim acho que não é só as empresas que tem que mudar e sim todos, dos usuários a prefeitura!

    ResponderExcluir
  3. Fala ai da susposta entrada da primor e da viper transportes no cohatrac.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A informação não procede! Via SL continua normalmente no sistema urbano

      Excluir
  4. Só falta a SMTT botar muita (pressão) em algumas empresas que não fazem renovação de frota exemplo o Consórcio Via SL e Ratrans que desde 2016 não comprou nem um veículo novo pelo menos a Ratrans comprou aqueles torinos 2007 semi novos em 2017 e agora está trazendo alguns de seus veículos q tem seu cadastro aqui e não estão nada mais e nada menos que voltando pra cá e o VSL está com seus carros com data de operação de até 04/2009 operando até hoje (09/2019) e tem que comprar 65 veículos essa sim está ferrada.Queria msm saber pra onde tá indo o lucro de todos os dias das linhas que a VSL opera.

    ResponderExcluir
  5. Esse consórcio bia SL tem dinheiro isso é safadeza mesmo. Só querem ter lucros os usuários que se ferrem essa é a verdade, o senhor Prefeito junto com o senhor canide ficam caladinhos pq estão todos nas mãos dos empresários vergonha

    ResponderExcluir
  6. Tem muitos ônibus novos, mas também tem muitos ônibus velhos.. Antes a SMTT falava que só com a licitação iria mudar o sistema, porque assim a prefeitura teria mais poder(lembrando que independentemente de licitação a SMTT, é quem tem ooder de regula, organiza o sistema) , foi feito a licitação e a secretária continua afrochando e se curvando. Não vamos negar que algumas coisas mudaram, mas muitas também mudaram só de rótulo, um exemplo: antes que mandava era as empresas hoje o rótulo mudou quem manda são os consórcios que são as empresas.. Os consórcio mandam e a SMTT obedece..

    ResponderExcluir
  7. Na verdade não temos muito o que comemorar...
    Comemorar o que??
    Os aumentos anuais das tarifas?
    A extinções ds função dos cobradores? A contribuindo com o desemprego



    ResponderExcluir