Um pouco sobre o Grande Anil

O bairro do Anil é um dos mais antigos da nossa capital, segundo informações o bairro possui mais de 90 anos de existência e o histórico dessa região está diretamente ligada à criação do parque têxtil ludovicense em meados da década de 40 a 50 com o destaque para a Fábrica Rio Anil.
Com a prosperidade comercial, o Anil foi ganhando sua primeira urbanização, já que desde o início o bairro era habitado por famílias abastadas e ao lado desses núcleos, vilas habitadas pelos mais pobres foram nascendo. Na segunda urbanização que iniciou a partir da década de 70, o bairro foi englobando outras comunidades como o Pão de Açúcar, Piquizeiro, Aurora e Cruzeiro do Anil, formando o Grande Anil.
Como foco tomaremos como base os bairros Pão de Açúcar e Piquizeiro, que ganharam suas primeiras linhas de ônibus logo após o crescimento das comunidades, sendo inicialmente operada pela empresa Roma.
Em 1996 com a inauguração do primeiro terminal de integração de São Luís, a linha 504 Pão de Açúcar passa a ser integrada, com seu trajeto via João Paulo enquanto a linha 814 Piquizeiro que também atende a localidade tem seu trajeto via Alemanha, com pontos finais distintos na época.
Meados de 2002, a linha deixa de ser operada pela Roma e é passada para a Viação Primor que inclusive na época recebeu um veículo novo de prefixo 36054 do modelo Apache S21 da Caio Induscar, montado sobre chassi Mercedes-Benz OF-1417.
Em 2004 com a criação do Consórcio Rio Anil, as duas linhas do Grande Anil passam para esse Consórcio e daí, ganha exploração de mais empresas que compõem o mesmo através de trocas operacionais entre elas.
Atualmente a linha T504 Pão de Açúcar é operada pelo Consórcio Central, através da empresa Taguatur e a linha T814 Piquizeiro pelo Consórcio Via SL com a empresa Rei de França, após processo de licitação em 2016, com 3 ônibus em cada linha em dias úteis, possuem um único ponto final e mesmo trajeto dentro do bairro, o que tornam as linhas sobrepostas, diferente de antes que tinham pontos finais distintos.
Fonte: SportbuS Maranhão
Pesquisa: O Estado do Maranhão

Postar um comentário

0 Comentários