Destaques no SportbuS

terça-feira, 10 de maio de 2016

Primeiro ônibus de chassi Ford da Ilha

Possuindo motor MWM, a Ford foi uma inovação no mercado na década de 90 junto com a marca alemã Volkswagen, já que ela também possuía o mesmo tipo de motor, para a capital maranhense, a Viação Abreu foi a primeira empresa a adquirir ônibus com o chassi Ford.

Em 1987, foi fechado uma parceria entre Volkswagen e Ford criando a Autolatina, havendo integração entre as fábricas, a ideia era que as duas empresas compartilhassem os custos e potencializassem os pontos fortes de cada uma. Apesar do processo ser concluído em 1987, apenas em 1990, as fabricantes iniciam o funcionamento da empresa, que tinha 51% de suas ações controladas pela Volkswagen e 49% pela Ford. A Autolatina seria uma empresa Holding, a Volkswagen e a Ford manteriam identidade e individualidade das suas marcas.
Em 1993, chegava na garagem da Viação Abreu (54), uma unidade do modelo Padron Rio da fabricante Ciferal, montado sobre o chassi Ford B-1618, sendo esse o primeiro ônibus a possuir o chassi na cidade de São Luís, mas, o mesmo nem chegou a operar pela empresa, pois o falecido proprietário queria retirar a 5° marcha do veículo e a concessionária Duvel (Ford), não autorizou, sendo assim, repassado o veículo para a Viação Norte Brasileiro (52). O veículo era equipado com 3 portas e recebeu o prefixo 52008 para as suas operações, principalmente na linha 910 Uema-Ipase.
As configurações de chassis tanto da Volkswagen quanto da Ford eram semelhantes, com o lançamento do Ford B-1618, era o equivalente ao Volkswagen 16-180 CO lançado na mesma época, depois a Ford lança o B-1621, que era equivalente ao Volkswagen 16-210 CO.
Na Grande São Luís, várias empresas foram adeptas do chassi Ford, havendo uma grande variedade de modelos possuindo o B-1618. O fim da Autolatina se deu por causa dos sistemas de informação que passaram a ser mais específicos a cada uma delas, a decisão de dissolver a Autolatina e separar as duas empresas foi tomada no final de 1994 e efetivou-se em 1996, foi uma separação amigável do que percebia-se à primeira vista, foi uma questão ligada a filosofias e estratégias de negócio, com poucos traços de sentimentos e rancor.
Em 2005, o veículo tornou-se apoio do Terminal São Cristóvão, operando com o prefixo 52-038 e já pela pintura do Consórcio São Cristóvão (amarela), foi o único veículo do modelo a receber a padronização do SIT São Luís. O veículo que pertenceu a Brasileiro operou até meados de 2011, sendo aposentado e não havendo mais conhecimentos sobre o seu paradeiro.

Fonte: SportbuS Maranhão

Um comentário:

  1. Sportbus: O que rola nos batidores? sera que teremos onibus modernos na nossa cidade como por exemplo;veiculos grandes com grande capacidade de passageiros ou a pespectiva e apenas somente o nessesssario. comenta ai o rola na porta das garagens

    ResponderExcluir

Top 10 da semana SportbuS Maranhão